Este blogue será utilizado na nova Unidade Curricular - Metodologias de Investigação do Programa Doutoral Multimédia em Educação. Os elementos do grupo são: Carlota Lemos,Cláudia Cruz, Isabel Araújo, Luís Pereira e Lurdes Martins.

21
Fev 10

Como é típico em Portugal, à terceira é mesmo de vez! :) Procedemos a uma clarificação do problema e ao seu diagnóstico nas 3 dimensões sugeridas.


 

O processo de construção de conhecimento continua a ser algo nebuloso para os alunos do ensino superior. O estudo realizado no âmbito da primeira unidade curricular Desenvolvimento de Materiais Multimédia para Educação permitiu-nos constatar que é necessário potenciar o desenvolvimento de metacompetências como a metaprendizagem e a metacognição: "A primeira conclusão que nos parece preponderante salientar é o facto de os alunos não estarem totalmente conscientes do seu processo de construção de conhecimento, havendo a necessidade do desenvolvimento de meta-learning skills, considerados fulcrais no paradigma conectivista de aprendizagem. As tecnologias de informação e comunicação são encaradas como meios de difusão de informação muito relevantes, mas o seu potencial enquanto detentoras de conhecimento e a sua relevância na construção de conhecimento é ainda um território a descobrir."

Acreditamos que essa inconsciência relativamente à forma como constroem o conhecimento poderá estar relacionada com uma atitude periférica e de passividade dos alunos. Aliás, a  incipiente participação dos alunos nas actividades académicas, bem como o elevado absentismo têm sido apontados por algumas instituições de ensino superior aquando da realização de um balanço da implementação do Processo de Bolonha.

 

Ao nível do ensino, apesar das directrizes de Bolonha, o modelo pedagógico não sofreu, em muitas instituições de ensino superior, grandes alterações. Volvidos 3 anos desde a implementação das directrizes de Bolonha, segundo Sebastião Feyo de Azevedo, representante nacional do Bologna Follow-Up Group (BFUG), o processo"está concluído no plano formal, no sentido da adaptação dos cursos aos dois ciclos, mas há muito por fazer no plano prático". Refere ainda que as instituições procuraram modernizar-se no que diz respeito a conteúdos e pedagogias, mas sublinha que o Ensino Superior em Portugal "tem um longo caminho para andar para pôr em prática os novos métodos de trabalho". O processo de ensino e de aprendizagem continua centrado no conhecimento do professor, que ocupa, ainda, um lugar de magistralidade.No que diz respeito à aprendizagem, os contextos formais, mais concretamente a sala de aula, continuam a ser dominantes, dando-se pouco destaque aos contextos não formais e informais. A tecnologia continua a ser encarada como um meio de acesso e divulgação da informação, não sendo, ainda, exploradas na sua plenitude as potencialidades de partilha e colaboração.

 

Assim, procuraremos responder à seguinte questão:

Como envolver os alunos na edificação de um processo de aprendizagem colaborativo, autónomo e consciente?

comentário:
Parabéns, gostei muito do diagnóstico. Parece-me claro, objectivo e bem fundamentado. Agora, mãos à obra :)
lpedro a 22 de Fevereiro de 2010 às 10:31

Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

16
17

22
26
27

28


arquivos
pesquisar
 
blogs SAPO